Perguntas Frequentes Sobre COVID-19

Aqui você encontrará respostas às perguntas mais frequentes sobre a COVID-19 e vida cotidiana. Como se transmite? E as relações sexuais? Há um risco maior no caso de ser HIV+? Fique por dentro.

O que é a COVID-19?

Vacio
VacioLa COVID-19 es la enfermedad infecciosa causada por el coronavirus que se ha descubierto más recientemente. Tanto el nuevo virus como la enfermedad eran desconocidos antes de que estallara el brote en Wuhan (China) en diciembre de 2019.
O que é a COVID-19?

Os coronavírus são uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais quanto em humanos. Nos humanos, sabemos que vários coronavírus causam infecções respiratórias, que podem ir desde o resfriado comum até doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS, por sua sigla em inglês) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, por sua sigla em inglês). O coronavírus descoberto recentemente causa a doença COVID-19.

Tanto o novo vírus como a doença eram desconhecidos antes que surgisse o surto em Wuhan (China) em dezembro de 2019.

Pode se transmitir o vírus causador da COVID-19 através do ar?

As pesquisas realizadas até agora dizem que o vírus causador da COVID-19 se transmite principalmente pelo contato com as gotículas de saliva de uma pessoa doente, mais que pelo ar. (Veja a resposta anterior à pergunta “Como se propaga a COVID-19?”)

O que posso fazer para me proteger e prevenir a propagação?

Lavar as mãos vigorosamente e com frequência usando água corrente e sabonete ou, se não tiver, usar um desinfetante à base de álcool a 70%. A água e o sabonete, ou o desinfetante à base de álcool, eliminam os vírus que possam estar nas mãos.

Mantenha uma distância mínima de 1 metro entre você e qualquer pessoa que tussa ou espirre, pois, quando alguém tose ou espirra, espalha pelo nariz ou pela boca gotículas de fluido nasal ou bucal que podem conter o vírus.

Evite tocar com as mãos os olhos, nariz ou boca, pois as mãos tocam muitas superfícies e podem se contaminar com o vírus. Quando estão contaminadas, as mãos podem transferir o vírus aos olhos, o nariz ou a boca. E daí, o vírus pode entrar no corpo e causar a doença.

Tanto você quanto as pessoas por perto devem ser cientes de manter uma boa higiene das vias respiratórias. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o cotovelo dobrado ou com um lenço de papel ao tossir ou espirrar. O lenço usado deve ser jogado no lixo imediatamente.

Ao manter uma boa higiene respiratória, você está protegendo as pessoas próximas de você de vírus, como os do resfriado, a gripe e a COVID-19.

Permaneça em casa se você não se sentir bem. Se você apresentar febre, tosse e dificuldade para respirar, procure atenção médica. Siga as instruções das autoridades sanitárias locais.

As autoridades nacionais e locais terão sempre as informações mais atualizadas sobre a situação da sua localidade, assim que fique atento. Em muitas cidades há decretos de distanciamento social ou inclusive o ‘toque de recolher’ para tentar frear os novos contágios. Por isso, sendo possível, fique em casa.

Medidas de proteção para as pessoas que estão em áreas onde está se propagando a COVID-19.

Se você tiver sintomas leves, como um resfriado, não precisar correr para um centro de saúde, ligue para o médico para obter instruções, provavelmente poderá ficar em casa. No entanto, se você apresentar sintomas graves como falta de ar e febre, procure ajuda médica rapidamente (consulte aqui os telefones designados pelas autoridades de saúde para relatar casos suspeitos de COVID-19 em cada país.

Como identificar e o que fazer sintomas de emergência:

AVISO: Estes são sinais de agravamento se estiverem presentes:

  • Qualquer idade: dificuldade em respirar, falta de ar, desmaio, sede excessiva, agravamento do desconforto inicial, palpitações, desorientação, vômitos.
  • Criança: respiração rápida, mau estado geral, recusa em amamentar e até convulsões.

Se você voltou de uma viagem de uma área considerada de risco (Europa Central, China, Japão, Estados Unidos, etc.), fique em autoisolamento voluntário de pelo menos 14 dias, sem contato com outras pessoas e adote rigorosamente as recomendações mencionadas na pergunta anterior. *Veja no link o mapa atualizado constantemente com os países com mais casos https://google.org/crisisresponse/covid19-map

Existem medicamentos ou terapias que permitam prevenir ou curar a COVID-19?

Muito embora alguns remédios ocidentais, tradicionais ou caseiros possam proporcionar conforto e aliviar os sintomas da COVID-19, não há provas de que os medicamentos atuais possam prevenir ou curar a doença. Recomendamos NÃO se automedicar, especialmente com antibióticos, para prevenir ou curar a COVID-19. Há várias pesquisas em curso com medicamentos ocidentais e tradicionais. A OMS fornecerá informações atualizadas assim que os resultados dos estudos clínicos estiverem disponíveis.

Quanto dura o período de incubação da COVID-19?

O período de incubação é o tempo que transcorre entre a infecção pelo vírus e o aparecimento dos sintomas da doença. A maioria das estimativas com relação ao período de incubação da COVID-19 oscilam entre 1 e 14 dias, e geralmente são cinco dias.

Vacio
Vacio
Quais são os sintomas da COVID-19?

Os sintomas mais comuns da COVID-19 são febre, cansaço e tose seca. Alguns pacientes podem apresentar dores, congestão nasal, coriza, dor de garganta ou diarreia. Estes sintomas costumam ser leves e aparecem de forma gradual.

Algumas pessoas se contagiam, mas não desenvolvem nenhum sintoma e não se sentem mal. A maioria das personas (cerca de 80%) se recupera da doença sem necessidade de fazer nenhum tratamento especial. Cerca de 1 a cada 6 pessoas que contraem a COVID-19 desenvolve uma doença grave e apresenta dificuldade para respirar.

Os idosos e os que padecem condições médicas preexistentes, como hipertensão arterial, problemas cardíacos ou diabetes, têm mais probabilidades de desenvolver uma complicação grave, porém não são os únicos.

É possível se contagiar de COVID-19 pelo contato com uma pessoa que não apresente nenhum sintoma?

Muitas pessoas que contraem a COVID-19 somente apresentam sintomas leves. Isto é especialmente o caso nas primeiras etapas da doença. Por isso, é possível se contagiar de alguém que, por exemplo, somente tenha uma tose leve e não se sinta doente. A Organização Mundial da Saúde (OMS) está estudando mais sobre o período de transmissão da COVID-19 e seguirá informando os resultados atualizados no link https://www.who.int/es/emergencies/diseases/novel-coronavírus-2019

Qual é a melhor forma de procurar ajuda em caso de sintomas?

Tente primeiro buscar assistência médica pelo telefone com seu médico habitual ou também nos telefones ou meios digitais que os governos de cada país tem disponibilizado para esta emergência. Veja a lista de meios de contato por pais.

Evite visitar os centros médicos, assim você permitirá que estes funcionem com maior e melhor eficácia e você ajudará a se proteger e proteger a outras pessoas de possíveis infecções da COVID-19.

Quem corre risco de desenvolver uma doença grave?

Ainda temos muito o que aprender sobre a forma pela qual a COVID-19 afeta os humanos, porém todos corremos o risco de contrair o vírus.

Existe alguma vacina, medicamento ou tratamento para a COVID-19?

Ainda não. Até hoje, não existe nenhuma vacina nem medicamento antiviral específico para prevenir ou tratar a COVID-19. Porém, os afetados devem receber atenção médica para aliviar os sintomas. As pessoas que apresentam casos graves da doença devem ser hospitalizadas. A grande maioria dos pacientes se recuperam com ajuda de medidas de apoio.

Por enquanto estão pesquisando possíveis vacinas e diversos tratamentos farmacológicos específicos. Há pesquisas clínicos em curso para testar a sua eficácia. A OMS está coordenando os esforços dirigidos a desenvolver vacinas e medicamentos para prevenir e tratar a COVID-19.

Meu bichinho de estimação pode me contagiar com o vírus?

Até hoje não há provas de que um cachorro, um gato ou qualquer mascote possa transmitir a COVID-19. A COVID-19 se propaga principalmente ao através das gotículas espalhadas por uma pessoa infectada ao tossir, espirrar ou falar, e a pessoa se contamina ao respirar as gotículas ou ao tocar superfícies contaminadas. Para se proteger, lave suas mãos frequentemente e evite tocar o rosto.

Tem alguma coisa que não devo fazer?

Tente levar sua vida normal, tomando as medidas de higiene e distanciamento social mencionadas anteriormente, você e sua família podem enfrentar esta emergência. Aconselhamos você a se alimentar de forma balanceada e saudável para cuidar do seu sistema imunológico e evite fumar.

Além disso:

  • Evite a exposição excessiva à cobertura mediática da COVID-19. Somente leia informações de fontes confiáveis.
  • Cuide do seu corpo. Respire fundo, faça alongamentos ou medite.
  • Faca exercício regularmente e durma o suficiente.
  • Evite álcool e drogas. Tenha tempo para relaxar e lembrar a você mesmo que os sentimentos negativos se passarão.
  • Tome descansos e deixe de assistir ou ouvir notícias relacionadas com a crise e a pandemia.
Vacio
Vacio
Como se propaga a COVID-19?

Uma pessoa pode contrair a COVID-19 pelo contato com as gotículas de saliva de outra que esteja infectada pelo vírus. A doença pode se propagar de pessoa a pessoa através das gotinhas procedentes do nariz ou da boca (gotículas) que se espalham quando uma pessoa infectada tose ou respira. Estas gotas caem nos objetos e superfícies próximos à pessoa, de modo que outras pessoas podem contrair a COVID-19 ao tocarem estes objetos ou superfícies e depois tocar seus olhos, nariz ou boca.

Também podem se contaminar se respiram as gotinhas espalhadas por uma pessoa com COVID-19 ao tossir ou espirar. Assim, é importante manter-se a uma distância mínima de 1 metro de qualquer pessoa, ainda mais se ela apresenta sintomas.

É possível se contagiar de COVID-19 por contato com as fezes de uma pessoa que padeça a doença?

O risco de contrair a COVID-19 por contato com as fezes de uma pessoa infectada parece ser baixo. Embora as pesquisas iniciais apontem que o vírus pode estar presente em alguns casos nas fezes, a propagação por esta via não é uma das características do surto. Porém, trata-se de um risco e, portanto, é uma razão a mais para lavar as mãos com frequência, depois de ir ao banheiro.

São eficazes os antibióticos ou antimicrobianos para prevenir ou tratar a COVID-19?

Nem os antibióticos nem os antimicrobianos são eficazes contra os vírus. A COVID-19 é causada por um vírus, de maneira que os antibióticos não funcionam com ela. Não se devem usar antibióticos como meio de prevenção ou tratamento contra a COVID-19.

Devo usar máscara para me proteger?

Se você não tem sintomas respiratórios característicos da COVID-19 (principalmente, tosse) ou não está cuidando de uma pessoa que possa ter contraído esta doença, não é necessário usar uma máscara clínica. Lembre que as máscaras descartáveis só podem ser utilizadas uma vez, por isso, se você não está doente ou não cuida de uma pessoa que esteja doente, você está desperdiçando uma máscara. Os estoques de máscaras no mundo estão se esgotando, e a OMS pede para que sejam utilizadas de forma sensata.

As medidas mais eficazes para se proteger e a outros contra a COVID-19 são: lavar as mãos frequentemente, cobrir a boca com o cotovelo ou com um lenço de papel ao tossir e manter uma distância de, pelo menos, 1 metro de qualquer pessoa, especialmente daquelas pessoas que tossem ou espirram.

Por quanto tempo sobrevive o vírus numa superfície?

Não se sabe com certeza quanto tempo sobrevive o vírus causador da COVID-19 numa superfície, porém parece se comportar como os outros coronavírus. Os estudos realizados (incluindo a informação preliminar disponível sobre o vírus da COVID-19) indicam que os coronavírus podem subsistir numa superfície desde umas poucas horas até vários dias. O tempo pode variar em função das condições (por exemplo, o tipo de superfície, a temperatura ou a humidade do ambiente).

Se você acha que uma superfície pode estar infectada, limpe-a ela com um desinfetante comum para matar o vírus e se proteger. Lave as mãos com um desinfetante à base de álcool ou com água e sabonete comum. Evite tocar os olhos, boca ou nariz.

Devo me preocupar pela COVID-19?

Em geral, os sintomas da COVID-19 são leves, sobretudo nos adultos jovens e nas crianças. Porém, também podem ser graves, exigindo a hospitalização de aproximadamente um de cada cinco infectados. Assim, é bastante normal se preocupar pelos efeitos que o surto da COVID-19 pode ter em nós e nos nossos familiares e amigos.

A medida principal e mais importante é a higiene regular e completa das mãos e das vias respiratórias. Em segundo lugar, é importante se manter informado e seguir os conselhos das autoridades sanitárias locais, como viagens, deslocamentos e os eventos que possam ter um grande número de pessoas. Você pode consultar os conselhos sobre proteção na página https://www.who.int/es/emergencies/diseases/novel-coronavírus-2019/advice-for-public

Fonte

World Health Organization

COVID-19 e HIV

O coronavírus representa um risco especial para as pessoas que vivem com HIV?

As diretrizes de prevenção do novo coronavírus para as pessoas vivendo com HIV/AIDS são as mesmas para toda a população. NÃO há evidencia alguma de que as pessoas com HIV tenham um maior risco de adquirir a infecção por SARS-CoV2 ou de sofrer complicações graves caso sejam infectadas; da mesma maneira que também não existem indícios do impacto da carga viral ou da contagem de células CD4 sobre o risco de contrair ou de desenvolver complicações graves.

Como conseguir antirretrovirais por mais tempo durante a quarentena?

É fundamental garantir um fornecimento de seus medicamentos antirretrovirais necessários, idealmente por 90 dias. A maioria dos países já contam com protocolos para fornecer medicamentos por mais tempo. No caso de ter problemas para consegui-los, pode entrar em contato com AHF no seu país pelas nossas linhas de WhatsApp para te dar assistência.

É importante também ter camisinhas disponíveis durante os períodos de quarentena.

Como manter a minha saúde mental durante o distanciamento social?

O abuso do consumo de álcool e drogas pode ter efeitos adversos na sua saúde mental. Reserve um tempo para relaxar e lembrar a você mesmo que os sentimentos negativos se passarão.

Existem recomendações especiais para as pessoas que vivem com HIV?
  • Vacine-se contra a gripe e pneumococo.
  • Evite a exposição excessiva à cobertura mediática da COVID-19. Somente procure informações de fontes confiáveis.
  • Cuide do seu corpo. Respire fundo, faça alongamentos ou medite.

Também, as recomendações são as mesmas para todas as pessoas:

  • Lave bem as mãos com água e sabonete, várias vezes ao dia.
  • Se você não tem por perto sabonete e água corrente, limpe as mãos com álcool em gel 70%.
  • Não toque os olhos, nariz nem boca.
  • Evite aglomerações, viagens e deslocamentos, principalmente em transporte público.
  • Fique em casa. Saia unicamente se for extremamente necessário. A maior taxa de transmissão ocorre durante o período de incubação, quando as pessoas ainda não têm sintomas, não parecem doentes e não pensam que pode haver um contágio.
  • Se você tiver dúvidas, entre em contato com seu médico pelo telefone ou WhatsApp antes de ir fisicamente a algum posto de saúde.
  • Somente siga as instruções das fontes oficiais e evite se afundar em informacão e entrar em pânico.

Fonte

UNAIDS
World Health Organization
OMSIDA

COVID-19 e Sexo

A COVID-19 pode se transmitir por relações sexuais?

Até agora, não há evidencia de que a Covid-19 possa ser transmitida com certeza pelo sexo vaginal ou anal, mas, como durante o ato sexual é praticamente certo que rolem beijos ou se respirem gotículas de saliva ou de fluído bucal da outra pessoa, o contato ou ato sexual com uma pessoa que tenha dado positivo para COVID-19 é considerado como um risco alto de transmissão.

É seguro praticar sexo oral?

Muito embora até agora não exista evidência de que a COVID-19 possa se transmitir através de fluídos vaginais ou sêmen, sim existe evidência de transmissão oral-fecal. Isso implica que o anilingus (sexo oral no ânus) pode representar um risco de infecção. A melhor coisa é evitar esta prática sexual, especialmente se alguém experimentar um sintoma relacionado à COVID-19 ou se relaciona com alguma pessoa fora do seu círculo conhecido na quarentena.

Como fazer sexo durante a quarentena?
  • Você mesmo é o seu parceiro sexual mais seguro. A masturbação não propagará COVID-19, especialmente se você continua com a higiene das mãos (e qualquer brinquedo sexual) com água e sabonete durante pelo menos 20 segundos antes e depois do sexo.
  • O seguinte parceiro mais seguro é alguém que mora com você e com quem você já tenha uma relação sexual prévia. É melhor ter contato erótico e/ou sexual com somente um pequeno círculo de pessoas para prevenir a propagação da COVID-19.
  • Deve evitar o contato erótico, incluindo o sexo, com qualquer pessoa fora do seu lar.
  • Se você tem relações sexuais com outras pessoas, o melhor é ter a menor quantidade possível de parceiros.
  • Se você ou seu parceiro suspeitam ter a COVID-19, evitem temporalmente as relações sexuais e especialmente os beijos até ter a avaliação de um médico.
E se quero procurar um novo parceiro sexual?

A recomendação neste momento é ficar em casa e manter um distanciamento social. No caso das plataformas e aplicativos para procurar parceiros online como Tinder, Grindr, Hornet, etc. a melhor opção é não ter interação física por algumas semanas. Você pode começar tendo contato de forma digital por videochat ou ter sexo virtual por meio de uma câmara de vídeo e se conhecer pessoalmente quando passe a etapa de isolamento social.

Tenho risco de contrair a COVID-19 se eu usar brinquedos sexuais?

Tocar superfícies contaminadas parece ser o modo secundário de transmissão do vírus. Para proteger a você mesmo e a seu parceiro, inclusive de uma IST e qualquer risco, mantenha os brinquedos sexuais limpos, de preferência bote uma camisinha nova quando for usa-los e depois jogue a camisinha no lixo. Antes ou depois de cada uso, lave-os com abundante água e sabonete. Também evite compartilhar ou emprestar os brinquedos, especialmente durante o ato sexual.

Posso contrair a COVID-19 beijando alguém na boca?

O vírus pode ser transmitido através da saliva. Por isso, o vírus pode ser transmitido sim beijando na boca uma pessoa infectada, ou também na bochecha ou no rosto. Da mesma forma, você deve evitar os abraços ou cumprimentar com aperto de mão. Se você suspeita ter sintomas ou ficar perto de uma pessoa fora do seu círculo de segurança ou fora do seu lar, a melhor coisa é evitar esses cumprimentos.

É seguro ter sexo nestes momentos?

Se você ou seu parceiro deram positivo no teste ou foram expostos a casos de COVID-19, evite o contato sexual e pessoal pelo tempo que o seu médico indicar. Em caso de dúvidas, ligue para os números de emergência do seu país.

A masturbação é segura?

A autossatisfação é uma opção totalmente segura. Você somente deve cuidar da higiene, antes e depois da prática, com água e sabonete. Também existem outras formas seguras pelas quais as pessoas expressam o erotismo e sua sexualidade de uma forma segura, como o sexting, as videochamadas com sexo virtual pelo meio de uma câmera de vídeo ou leituras eróticas.

Quanto tempo tenho que esperar para poder ter intimidade com alguém novo?

O mais importante é ter certeza que tanto você como seus conhecidos pratiquem distanciamento social agora. Quanto antes o fizermos, veremos uma redução nos novos casos e poderemos continuar com as nossas práticas de socialização. Em lugar de pensar no futuro, recomendamos que você se centre no presente.

Fonte

NYC Health
Science Media Centre
Centers For Disease Control And Prevention
The Government Of The Grand Duchy Of Luxembourg
Taylor & Francis Online
Brook

Se você é HIV positivo

e você tiver dúvidas relacionadas ao COVID-19 e sua saúde, entre em contato no WhatsApp para ajudá-lo.

RECURSOS OFICIAIS DA COVID-19 POR PAÍS

Argentina

Número: 0800-222-1002

Site web: argentina.gob.ar

Facebook: msalnacion 

Brasil

Número: 136

WhatsApp: +55 (61) 99380-031

Site web: portalarquivos2.saude.gov.br

Facebook: minsaude

Chile

Número: 600 360 7777

Site web: gob.cl

Facebook: ministeriosaludchile

Colombia

Número: 018000955590

Site web: minsalud.gov.co

Facebook: MinSaludCol

El Salvador

Número: 132

Site web: cov.salud.gob.sv

Facebook: salud.sv

Guatemala

Jamaica

Número: 8886635683

Sitio Web: moh.gov.jm

Facebook: themohgovjm

México

Número: 800 00 44 800

Site web: gob.mx

Facebook: SecretariadeSaludMX 

Panamá

Número: 169

WhatsApp: +50769972537

Site web: minsa.gob.pa

Facebook: minsapma 

Perú

Número: 113

WhatsApp: +51952842623

Site web: gob.pe

Facebook: minsaperu 

República Dominicana

Número: *462

Site web: digepisalud.gob.do

Facebook: SaludPublicaRD